Elizabeth Barrett Browning - Sonetos da Portuguesa (Resenha)

 

"Sonetos da Portuguesa" é um clássico da poetisa vitoriana Elizabeth Barrett Browning (1806-1861), e consiste em um conjunto de sonetos românticos que narram sua história de amor também poeta Robert Browning, com um estilo de escrever simples, doce e suave, mas ao mesmo tempo intenso de tanta paixão.

Não há 44 documentos escritos em 1844 e 1845 e apenas foram publicados porque o seu marido a convenceu. Ela acreditava que os versos eram íntimos demais, enquanto dizia que era a melhor sequência de sonetos já feita depois de Shakespeare. Parece que Robert estava certo, mas acabou se tornando mais conhecido até que ele. O livro foi um enorme sucesso durante a vida da autora e acabou se tornando uma influência literária para grandes autores como Edgar Allan Poe e Emily Dickinson.

O filho mais conhecido dela é o Soneto 43, que foi traduzido magistralmente no Brasil pela poeta Manuel Bandeira, e acabou se tornando extremamente popular, apesar de haver vários outros belíssimos, como o Soneto 10, que começa com “No entanto, amor, mero amor, é lindo mesmo ”(“ Mas o amor, o puro amor, é lindo ”). O título do livro surgiu do apelido de Robert Browning: “meu pequeno português”, pois ambos eram apreciadores de Camões.

No Brasil, uma única edição publicada, é da Editora Rocco, com ótima tradução de Leonardo Fróes.


Soneto 43 recitado: 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Goethe - Os Sofrimentos do Jovem Werther (Resenha)

Lord Byron - Poemas Recitados